Como amortizar o crédito pessoal de forma descomplicada

Continuar (Sem compromisso)
Esta uma questão que surge quase assim que se assina o contrato: como é que se pode amortizar o crédito pessoal de forma descomplicada? Talvez por necessidade de sentir o alívio de já não ter uma dívida ou, então, por querer ter mais capital disponível para, por exemplo, poupar.

Seja qual for o motivo pela qual quer amortizar o seu crédito, saiba que isso é algo completamente possível. No entanto, é necessário que tenha que seguir alguns passos para que essa amortização seja bem-sucedida e benéfica para as suas finanças.

Quer saber o que tem que fazer para amortizar o seu crédito pessoal de forma descomplicada? Continue a ler o nosso artigo!

O que é amortizar um crédito?

Antes de pensar em amortizar o seu crédito pessoal, nada melhor do que explicar-lhe do que se trata.

Em suma, amortizar um crédito é pagar de forma antecipada uma parte da dívida que tem com a instituição financeira a quem pediu o crédito. Pode optar por amortizar de forma total (eliminar de vez a dívida) ou parcial (reduzir o valor que deve).

De um modo geral, qualquer cliente pode amortizar o seu crédito quando quiser, desde que essa situação esteja prevista no contrato. Deste modo, a amortização pode ser feita de diversas formas, contudo, isto não dispensa a consulta do seu contrato.

Como amortizar o crédito pessoal em 5 passos

 

1. Analise e calcule os montantes que tem em dívida

Antes de pensar em amortizar o crédito pessoal, tem que analisar as suas finanças, isto é, quais são os montantes que tem em dívida. Porquê? Porque por vezes, e sobretudo se contraiu vários créditos, é fácil de perder a noção do montante que tem em dívida. Por isso, antes de tomar qualquer decisão, faça as contas e veja o que lhe falta pagar e o tempo que tem para saldar cada dívida.

Além de calcular o montante em dívida, analise quais são os créditos que lhe compensam amortizar. Por norma, deve começar por aqueles que apresentam maior taxa de juro, afinal, quando mais cedo os eliminar, mais conseguirá poupar.

2. Controle os seus gastos

Outro ponto crucial quando se trata de finanças pessoais é o do controlo de gastos. No entanto, quando se trata de eliminar créditos em dívida, este é um passo ainda mais importante. Assim, analise todas as suas receitas e despesas fixas de modo a perceber quanto lhe sobra para pagar prestações e despesas menos essenciais.

3. Negoceie

Depois de analisar a sua situação financeira, fale com os seus credores e tente negociar as suas obrigações. Só assim conseguirá, muais vezes, conseguir um prazo maior para pagar o que falta ou até a redução da prestação. Para isso, prepare-se muito bem, encontre os melhores argumentos a seu favor e não tenha medo de negociar.

4. Amortize o seu crédito pessoal gradualmente

Quer amortizar o seu crédito pessoal? Então a melhor opção a tomar depois dos três passos anteriores é passar à ação. Com isto queremos dizer que está na altura de começar a amortizar o seu crédito gradualmente!

De modo a conseguir ter um alívio financeiro, aconselhamos que pague sempre mais do que o valor mínimo estabelecido para amortizar a sua dívida em cerca de 30%. Por exemplo, se paga uma prestação de 50€, opte por pagar 60€. Assim acabará por pagar menos juros pelo seu empréstimo, eliminando a dívida rapidamente. Com isto, conseguirá poupar dinheiro para, por exemplo, fazer o seu fundo de reserva.

5. Seja disciplinado

O sucesso da amortização de uma dívida é, além do planeamento, a disciplina. Por exemplo, se se comprometeu em reduzir os jantares fora para a amortização do crédito pessoal ou em passar um mês sem ir ao shopping, cumpra. No final, a sua dedicação vai compensar.

Quais são as vantagens de amortizar os créditos pendentes?

Acima de tudo, ao eliminar um crédito estará a aliviar as suas finanças pessoais, principalmente se a amortização for total. Mas seja como for, com amortização total ou parcial, ficará com mais dinheiro disponível, logo, com menos dívidas ativas. No caso da amortização de crédito parcial, estará a fazer descer as despesas com juros, as comissões, entre outros encargos associados.

Além dos aspetos citados anteriormente, o facto de eliminar uma dívida pendente ajudá-lo-á a recorrer a créditos futuros. Porquê? Porque os créditos pendentes atrapalham o seu poder negocial junto das instituições financeiras.

Devo amortizar o meu crédito pessoal?

Para conseguir ter a resposta a esta pergunta, deve somar todos os benefícios com as desvantagens que tem em amortizar o valor que tem em dívida e analisar o resultado da conta. Se no final as contas dos ganhos for maior que o das perdas, então a resposta a esta questão é afirmativa. Contudo, a grande lição é: nunca deixe de fazer as contas!

Continuar (Sem compromisso)